"Dentre os primeiros romances de Emmanuel e Chico que li; emocionante, triste, melancólico, atormentador a qualquer alma que queira de fato perceber a grandeza da dignificante lição do apóstolo do Cristo ressuscitado. Estaria preparado para despojar-se de sua vaidade, de seu orgulho e soberba, servindo àquele que nada oferece aos olhos do mundo,sendo você mesmo atuante alto dignitário mundano? Quer tentar? Só de cogitar eu...tremo. "

 
     
   
 

"Dos jogos da vida, a melhor das brincadeiras é a BRINCAR DE SER FELIZ, tirando proveito e positividade dos adventos circunstanciais, neles moldando o caráter, neles erigindo o alicerce do futuro! Que saudade de mim lendo esse livro com a inocência infante, alheia aos reveses que me aguardavam! Que bom ter sido inserida ao universo literário através dos olhos majestosos de Eleanor H. Porter.

In memorian a uma fada madrinha de carne e osso, a quem me presenteou com eles; Elaine de Oliveira Cândido e suas filhas.
"

 
     
   
 

"Eeeeeeesse é overdose histórica meeeeeeeeeesmo!
Período focado do domínio e retomada de controle de Gregos e Persas, a mescla dos filósofos gregos com o zoroastrismo relatado, tendo por personagem um dos netos de Zoroastro. Formação da influência de pensamento daquilo que até hoje respiramos em todos os "ias" herdados da civilização pseudo greco-romana! "

 
     
   
 

"A Saga dos Capelinos abrange nossa vinda para o plano terreno, as razões pelas quais fomos enviados para cá, e nos dá um norte maravilhoso a despeito de nossos guardiões, de nós mesmos e nosso papel aqui na Terra, além de desanuviar incógnitas quanto "a quem eram os seres considerados deeeeuses", os "primeiros líderes", por assim dizer, e por qual razão essas pseudo-lideranças aqui estavam, auxiliando a tantos às vezes numa única vida...Santos? Deidades? Quem era Yaweh, segundo o autor?
Preparem-se! Abraão, Saraí, (Isaac e Jacó), vocês não têm noção das razões de Rebeca para a precedência de Jacó à Esaú.... José, Moisés, "os Arcanjos", e diga-se de passagem, embora não me recorde qual dos volumes, mas há neles  A RAZÃO DA HOMOSSEXUALIDADE, E O QUE ELA É DE FATO, E O PORQUE da permissão de sua atuação na carne!
O volume I é o mais denso, mas é uma saga que, a nós espíritas, à título de análise e estudo, compensa imensamente. A SAGA DOS CAPELINOS do autor Albert Paul Dahoui. Editora Heresis."

 
     
   
 

"O Código da Vinci não apresenta absolutamente nada de extraordinário, mas é a obra que, pela polêmica divulgada, trouxe atenção pública às abordagens de questões intrigantes, delicadas e desconcertantes para Igreja. Não creio nem rejeito nenhuma hipótese, enfatizando que as polêmicas são consequência UNA do excessivo sigilo da instituição que se adonou do Cristo, decidindo, fosse verdade ou não, determinando, pois, com boa fé ou não, o que deveria ser levado a conhecimento dos fiéis ou mantido sob reserva. A bola de neve simplesmente cresceu e desceu ribanceira abaixo. O Código da Vinci, posto, tornou-se assim, um marco. "

 
     
   
 
"A primeira obra de Charroux que li. Completamente fascinante! Se há veracidade não sei, mas que muita coisa ali faz sentido, ao menos a meus olhos, faz!"

 
     
   
 

"SABÁ - O País das Mil Fragrâncias de Roselis Von Sass...Uma das mais significativas obras pra mim!"

 
     
   
 

"As obras de Chico Xavier SÃO AS OBRAS DE CHICO XAVIER! Dispensam maiores comentários a não ser das menções constantes sobre a rica instrução atemporal de ética, de moral, de elevação espiritual desvinculada de religiosidade eis que o bem pode, “e deve”, ser uma prática habitual a todos sem distinção. "

 
     
   
 

"O livro iniciático me veio ao acaso: “Sabá: O País das Mil Fragrâncias” de Rosellys Von Sass. O texto, bem me recordo, trazia em si a suavidade de narração, e riqueza de descrição de personagens e cenários, assemelhada à de Chico Xavier, o que abriu portas ao entendimento textual; entretanto, se a admiração pessoal por essa extraordinária autora, já falecida, fomentou-se na delicadeza de sua destra, atestada em outras tantas obras lidas posteriormente, ora, foi a coleção À Luz da Verdade, de Abdruschin que causou impressão impactante ao propor uma leitura de vanguarda, na qual percebia-se no autor a preocupação com o conformismo de gerações e a ousadia, todavia, de nos crermos centro universal a ponto de despejarmos sobre os mentores religiosos e espirituais as responsabilidades que são nossas. Comungo da aberração tencionada ao permitirmos que Jesus Cristo TENHA de atender às expectativas quer seja de cristãos ortodoxos, católicos praticantes, dos protestantes, dos espiritistas e todas as demais ramificações, sendo que deveríamos NÓS nos preocuparmos em corresponder ao ensinamento DELE.
A Ordem do Graal na Terra, embora não me seja de extenso conhecimento, parece dar passos largos em direção do despertar que carecemos, inda que não seja exatamente da forma que ansiamos. Há salvação? Claro! Todavia as estradas já foram abertas e não devemos desaguar sobre o Cristo, depois de tudo, ainda a obrigatoriedade de nos levar, tal qual como cruzes individuais, um a um, sobre os ombros, até os portais da redenção. Não se trata aqui de dúvida quanto à desenvoltura do salvador, mas, como bem afirmava Saulo de Tarso: “Tudo posso, mas nem tudo me convém.” Embora possamos por ELE esperar, bem mais conveniente, bem mais apropriado, e certamente bem mais gratificante ao Mestre Cristo Jesus, seria que corrêssemos para ELE com o vigor da fé fortificando nossos passos."

 
     
   
 

"A saga inteira é impressionante, intensa e instrutiva, mas o Vol. I, Felipe o Belo (O Rei de Ferro)... A conspiração aos templários e os meandros de como se deu o cumprimento do espraguejamento de J.Molay é fantástico! Aborda temas que admiro e me que enriqueceram minha leitura. "

 
     
   
 

"..Uma autoridade romana dominante considerando impuro seu ato a ponto de se lavar por um judeu?..." "...Um governante se arrependendo PUBLICAMENTE de seus comandos..."
Citações do Livro EU, PILATOS de Mauricio Santini

Lustratio (o lavar as mãos): O que teria sido um "lustratio"? Deveras eu não sabia, antes de ler a cita obra, mas, quem nunca pensou nas consequências políticas a Pôncio Pilatos acaso, se assim tiver agido, demonstrasse tal sentimentalidade diante um povo conquistado e revoltoso?

 Taí um livro que comprei ao acaso, sem indicação ou coisa similar, e que eu gostei, me fez bem ler, e interpretar nas entrelinhas, tanto de minhas próprias reflexões. E, essa é minha maneira de parabenizar o autor de EU, PILATOS, Maurício Santini. Uma leitura inteligente e gostosa que recomendo e reverencio!"

 
     
     
       
   
     
                                           Divulgação Obra Expurgo  
©2012 Escritora Flávia Neves - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por M4 Comunicação